Top


Este site foi criado com o objetivo de lhe transmitir informações para que possa ter uma vida saudável.

«Sente-se bem hoje?», tornou-se a minha pergunta favorita às pessoas que me dizem que cuidar da saúde é fastidioso, que o esforço é inglório, que preferiam viver «uma vida curta mas alegre».

Escolher hábitos de vida mais saudáveis não é suficiente para lhe permitir maior longevidade permite-lhe viver melhor, sem o que uma vida mais longa não vale a pena. Não é apenas o facto de evitar um ataque cardíaco precoce, embora haja boas razões para o fazer. É por ser boa uma sensação de bem-estar no dia-a-dia. Significa que se tem um «lado bom da vida» a percorrer, que se tem energia e vontade de tirar melhor proveito de si e da sua vida.

Este site pode dar-lhe uma rápida panorâmica desse poderoso estado de boa saúde. Foi escrito por pessoas que fazem as coisas sobre as quais escrevem e contam-nas e ensinam-nas a outras pessoas. Sabem que resulta.

A sua saúde é da sua responsabilidade, porque os hábitos de vida diários que escolher são os principais factores para a determinação do seu bem-estar.

Sim algumas pessoas nasceram mais saudáveis do que outras. Isso não afecta o facto de muitos de nós poderem procurar melhor saúde. As principais epidemias deste século não são acidentes do destino são doenças que escolhemos, adoptando certos estilos de vida: doenças do coração, stress, tensão arterial elevada, problemas intestinais, cálculos na vesícula, diabetes, obesidade, alcoolismo, cancro pulmonar…

Este site debruçou-se sobre três vias principais para tornar diferente o seu estado de saúde física e mental: o que come o exercício que faz e a maneira como reage à vida. Saúde física, mental e espiritual não são separáveis. Estão interligadas. Um corpo doente não favorece a boa disposição de espírito e vice-versa.

Em vinte e cinco anos de publicação da revista Here’s Health, sabemos por experiência que as pessoas podem constituir o oposto de um círculo vicioso: um sentir-se cada vez melhor num movimento em espiral ascendente. Simples mudanças nos hábitos alimentares fazem-nos sentir melhor física e mentalmente. Apetece-lhes mais fazer exercício e ser enérgicas, o que por sua vez lhes levanta o moral e o bem-estar físico. A sensação de bem-estar geral, a que se vem juntar a sensação de autoprogresso, aumenta a simpatia que têm delas próprias, o que as leva a dar passos mais positivos.

Numa tal espiral, muitas das coisas do dia-a-dia que vêm causando problemas de índole física, social ou laboral resolvem-se por si próprias. Pense, por exemplo, o quanto poderia melhorar a sua vida se se sentisse mais descontraído: resultado rápido do exercício, relaxamento, melhoria dos hábitos alimentares e seguidamente dos nossos conselhos ao lidar com o stress provenientes da resistência à realidade. Dores físicas, irritantes alergias, perturbações digestivas, dores de cabeça, asma e outras também são susceptíveis de desaparecer com o novo estado de supersaúde. Conhecemos centenas de leitores que o provaram.

A doença não se desenvolve numa pessoa saudável. Um corpo são resiste à infecção e recupera mais  rapidamente se sucumbir. Nunca procure um “remédio” mágico que pode engolir ou aplicar em caso de doença: procure antes o que tem vindo a fazer para alterar o estado de saúde natural do corpo. Corrija esse procedimento recorrendo à ajuda de profissionais quando se lhe deparar uma crise e o seu corpo recompor-se-á automaticamente.

Se optar por hábitos de vida e de pensar com que o seu corpo e a sua mente sejam incompatíveis, não se surpreenda se reagirem perdendo a resistência à infecção ou ao stress ou desenvolvendo morosamente doenças degenerativas. Acima de tudo muitas pessoas debilitam-se com um sentir de incapacidade, frequentemente associado a ressentimento. Sou uma vítima das circunstâncias- é uma atitude que significa que pode evitar a aceitação da responsabilidade de alguma coisa e isso quase impossibilita um estado de perfeita saúde. E isso porque parece provar que você é capaz de afectar a sua própria vida portanto, e escusado tentar. Permite-lhe ficar ressentido com a «vida» por lhe oferecer essas circunstâncias e um ressentimento tão basilar quanto a esse impede o sentido de harmonia na vida. É uma atitude que pode dar cabo de si. Uma vez adquirida, está a atribuir ao seu corpo um fardo que, eventualmente, irá contribuir para a doença. E mesmo quando está «bem», terá de percorrer um longo caminho para aniquilar a vida que há na sua vida.

Tome responsabilidade cuidar de si dá-lhe mais vida. Não é uma mania de auto-indulgência: você é o bem mais precioso de que dispõe. É a sua vida.