Top

E perigoso comer muitas gorduras?

images 25 - E perigoso comer muitas gorduras?

E perigoso comer muitas gorduras?

A mais reveladora prova deste lado provém dos estudos epidemiológicos que analisam diferenças de saúde entre as diversas populações humanas. Nos países mais desenvolvidos as doenças cardíacas aumentaram fortemente nos últimos 30 a 40 anos. Todas as classes sociais estão actualmente sujeitas a elas. O aumento das doenças cardíacas tem sido especialmente notável entre os grupos socioeconómicos mais pobres, e entre os homens dos 35 aos 44 anos. Há provas de que as taxas de mortalidade devida a doenças cardíacas permanecem estáveis (embora elevadas) na Inglaterra, embora nos EUA e em diversos outros países essas taxas, estejam a baixar, especialmente entre os homens. Ninguém sabe explicar porquê, mas talvez as campanhas no sentido de fazer a pessoas ingerirem menos gorduras, deixarem de fumar e fazerem mais exercícios, estejam a resultar.

Um estudo epidemiológico anterior revelava que as doenças cardíacas na Noruega diminuíram, durante a Segunda Guerra Mundial, após a invasão alemã, mas aumentaram quando a guerra acabou. Ocorreu mais ou menos o mesmo na Inglaterra e no País de Gales durante a guerra, e o motivo poderá ter sido o facto de as pessoas comerem mais frugalmente. Outro tipo de estudo compara o que sucede às pessoas quando abandonam a sua pátria para viverem noutra terra. Por exemplo, as pessoas da Ásia e da África sofrem pouco de doenças cardíacas, provavelmente por causa da sua alimentação geralmente inferior em gorduras e calorias. Mas os asiáticos e africanos que vão viver para a Europa ou para a América, ou que se adaptam à nossa maneira de viver e à nossa alimentação, acabam por contrair também as nossas doenças cardíacas. Alguns estudos esforçaram-se por identificar a ligação entre a alimentação e as doenças cardíacas, seguindo um grupo de pessoas durante muitos anos, anotando os seus hábitos alimentares e outros factores relacionados com a saúde, como o exercício e o tabaco, para verem se surgiam elos comuns entre os que contraíam doenças cardíacas.

As provas apontam para a existência de uma ligação firme entre as doenças cardíacas e o elevado nível do colesterol no sangue que, por sua vez, está ligado a uma alimentação rica em gorduras, especialmente saturadas. (O colesterol dos alimentos parece ser muito menos importante).Os factores como o uso do tabaco e a herança genética influenciam também a existência de colesterol no sangue, mas, em geral, mantém-se a ligação entre o colesterol e a alimentação. Nos países onde a ingestão de gorduras saturadas não ultrapassa 30 g por dia, as doenças cardíacas são raras. Onde ultrapassa 110 g por dia, as doenças cardíacas fazem muitas vítimas.

No Comments

Post a Comment