Top

Cancro

Stress and Acne Is There a Connection 300x212 - Cancro

Cancro

O Dr. W. Herberger, especialista alemão de cancro, afirmou que a cólera crónica, a decepção, o medo e a incapacidade de vencer a adversidade têm o seu papel no desenvolvimento do cancro. Outras investigações sobre atitudes de cancerosos demonstram que um número desproporcionado desses doentes revela tendência para reviver longamente perdas que se verificaram no passado e infelicidades reais ou imaginárias. Parecem também ter pouca noção do futuro em comparação com outros doentes graves que não sofrem de cancro.

O Dr. Hans Moolenburg, médico holandês que tem desenvolvido um grande trabalho com cancerosos, descobriu que muitas dessas pessoas tiveram destino adverso, sofreram choques pessoais e emocionais em cadeia. Há mesmo psicólogos que vão ao ponto de considerar o cancro uma «forma de suicídio socialmente aceitável» um modo de fugir ao stress da vida sem recorrer activamente à autodestruição. Porém, se isto é verdade para alguns doentes de cancro, não é para todos. O Dr. Hans Nieper, director do Hospital de Silbersee, Hanôver, e perito em cancro de craveira internacional, diz que há cancerosos que mostram necessidade de colaborar de modo inteligente e positivo no tratamento. De acordo com a sua experiência, é isso que distingue os doentes que recuperam do cancro, ou aqueles em que a doença está controlada, dos que simplesmente fenecem. Igualmente o médico radiologista, Dr. Carl Simonton, verificou, na sua qualidade de chefe de terapia por radiações da base de aviação militar Travis, que Estados Unidos da América, que alguns doentes recuperavam melhor que outros, sem qualquer razão clínica óbvia; depois de investigar, concluiu que os doentes que recuperavam eram os que tinham vontade mais forte de viver e atitude mais esperançosa em relação à doença e à própria vida.

De um modo geral, quatro tipos fundamentais de atitude são atribuídos aos cancerosos: motivação agressiva para a cura, negação passiva da doença, aceitação estóica, desespero e abandono. As grandes recuperações são significativamente mais frequentes entre os doentes que adoptam uma das duas primeiras reacções. Actualmente investiga se para descobrir o que provoca ou impede essas reacções, a fim de se ajudar os doentes a desenvolve-las.

No Comments

Post a Comment