Top

Anorexia nervosa

Anorexia case 1900 Nouvelle icononographie de la Salpetriere - Anorexia nervosa

Anorexia nervosa

Trata-se de uma forma de manipulação alimentar extremamente grave e hoje   em dia relativamente bem conhecida. Cerca de 90% dos pacientes são raparigas e mulheres jovens; embora possa ocorrer com homens jovens, isso é relativamente raro. A anorexia é caracterizada pelo pavor de engordar, do que resulta a paciente fazer coisas extraordinárias para reduzir o peso e conservá-lo muito inferior ao que deveria ser. A pessoa anoréctica, além de ser extremamente magra, revela outros sinais e sintomas. Uma vez que o seu peso se torne inferior a cerca de 41 kg a menstruação, a ovulação e, portanto, a fertilidade, deixam de existir: efectivamente, tem sido sugerido que a anoréctica se esforça por regressar ao seu estado pré-pubescente. O seu hálito pode cheirar a vómito ou a acetona, devido ao jejum, o corpo pode ficar coberto de penugem, e ela poderá passar por fases de glutonice.

O facto de vomitar constantemente poderá fazer com que o esmalte dos dentes fique corroído pelos ácidos estomacais. Acima de tudo, está decidida a evitar ingerir qualquer alimento, em especial hidratos de carbono.

As raparigas provenientes de famílias da classe média são particularmente vulneráveis à anorexia; é mais rara em jovens de meios menos prósperos. Um estudo efectuado em Inglaterra com base em jovens em idade escolar, com mais de 16 anos, provenientes de famílias abastadas, revelou que uma em cada 100 sofria gravemente desta doença. Revelou igualmente que muitas das outras raparigas demonstravam um qualquer comportamento de manipulação alimentar em determinada fase da sua adolescência. A doença é também vulgar entre as raparigas em idade pré-escolar.

A anoréctica poderá começar por pensar que está gorda e começar a fazer dieta. Recusar a comida, apesar de ter fome, poderá revelar-se mais fácil do que pensava. Poderá sentir orgulho por conseguir controlar tão bem o seu consumo de alimentos. Ao fim de um período de fome, poderá começar a sentir-se um pouco «aérea» e poderá gostar da sensação.
Continuará a perder peso, mesmo que o seu peso já seja então inferior ao considerado normal. Por vezes, quando come e acha que comeu de mais, forçar-se-á a vomitar quando estiver só; ou poderá tomar laxantes em grande quantidade, para evitar absorver os alimentos que acabou de comer. A maior parte dos anorécticos não conseguem deixar de pensar na comida, o que lhes provoca grande angústia.

As raparigas anorécticas dizem, por vezes, que foram influenciadas no sentido de começar a fazer dieta pelo comentário do pai, da mãe ou de um amigo, que lhes disse que estavam gordas. Parece que em certos casos, este tipo de reparo pode desencadear uma predisposição pra uma dieta excessiva.
Os estudos feitos revelam que muitas adolescentes anorécticas receiam ser um desapontamento para os pais ou têm consciência de o ser.

O facto de uma rapariga se ler tornado anoréctica é frequentemente muito bem escondido da família e dos amigos. Pode começar a esconder tudo o que diz respeito à comida, esforçando-se o mais possível por não comer com as outras pessoas. Pode dar-se ao trabalho de esconder a sua magreza usando roupas soltas e largas. Poderá conseguir dar a impressão de comer muito espalhando a comida em volta do prato, dizendo que já comeu uma refeição enorme, passando horas a preparar refeições complicadas para os outros, sem comer coisa alguma ela própria.

É frequente as anorécticas não se aperceberem de que estão demasiado magras porque têm imagens distorcidas da própria gordura. Podem observar ao espelho os corpos emaciados e queixar-se de que estão gordas.

Esta situação pode durar meses ou mesmo anos e em alguns casos, pode levar ao suicídio ou a problemas de metabolismo com resultados fatais. A paciente pode praticamente morrer de fome. O facto de vomitar repetidamente pode produzir perda de potássio, susceptível de causar uma falha cardíaca. A anorexia tem de ser classificada como uma doença grave e tratada seriamente por todos os que estão com ela relacionados. Há alguns pacientes talvez 10% que conseguem recuperar-se após alguns meses de tratamento. Para os restantes, a anorexia pode ser um problema durante toda a vida com períodos de doença e recaída. O tratamento é difícil e
implica não só alimentar a paciente, como também tentar descobrir e aliviar os problemas psicológicos que levaram à sua fobia de engordar.

 

No Comments

Post a Comment